Texto por Colaborador: Redação 26/02/2024 - 04:25

Para Julian Brandt os erros foram “difíceis de aceitar”, para Alexander Meyer “a cena do pênalti não foi decisiva no jogo porque cometemos muitos dos nossos próprios erros” e para Marcel Sabitzer “o porquê e para quê foi difícil de explicar”. Veja os comentários sobre o jogo.

Marcel Sabitzer (na BVB-TV): “Depois de um mau começo, voltamos a ficar do nosso lado, estamos no controle, vamos para o intervalo, dizemos que temos que reagir bem ao que eles adaptam - e aí perdemos perdemos o fio , perdem bolas simples e correm para o contra-ataque no próprio estádio. Isso não deveria acontecer. Os porquês e porquês são difíceis de explicar.”

Julian Brandt (na zona mista): “Isso foi totalmente desnecessário. Trouxemos um adversário que não desistiu, mas que tínhamos sob controle, de volta à vida com bolas sujas. Foi parcialmente louco. Reagimos ao erro do primeiro tempo, viramos o jogo e controlamos. Jogamos cansados contra o Hoffenheim e de alguma forma tiramos a vontade de jogar futebol. Na segunda parte não eliminamos os erros individuais, duplicámo-los ou triplicamo-los e tomamos decisões muito fracas sobre quando queremos jogar futebol e quando podemos querer ir para a segunda bola. Isso é o que mais me irrita – a derrota só me irrita. Isso é difícil de aceitar.”

Alexander Meyer (no DAZN): “Incrível! Apesar da desvantagem inicial, jogámos bem e mostrámos uma grande reacção. E então paramos no segundo tempo em vez de apenas continuar. Mesmo que o empate tenha sido infelizmente desviado, simplesmente não podemos desistir de um jogo como este! Na verdade, a vantagem de 2-1 ao intervalo deveria ter-nos dado confiança e segurança. Tivemos muitas ações sujas e problemas para continuar nosso jogo. A cena do pênalti não foi decisiva no jogo porque cometemos muitos erros, mas ele aumenta claramente a área de superfície corporal e houve outros pênaltis.”

Categorias

Ver todas categorias

BVB está certo em manter Terzic na próxima temporada?

Sim

Votar

Não

Votar

84 pessoas já votaram