Texto por Colaborador: Redação 10/09/2023 - 15:48

Um pesadelo: Nico Schlotterbeck está irremediavelmente derrotado na goleada contra o Japão em uma posição desconhecida.

Depois do pesadelo de uma hora na esquerda, a substituição de Nico Schlotterbeck foi um alívio. O desesperadamente oprimido jogador do Dortmund foi misericordiosamente autorizado a deixar o campo em Wolfsburg - depois de uma noite que dificilmente poderia ter sido pior.

Schlotterbeck foi a cara do constrangimento no 1:4 contra o Japão - como foi o caso na amarga derrota na abertura da Copa do Mundo contra o Samurai Azul, em novembro.

O zagueiro esteve completamente deslocado no lado esquerdo da defesa, esteve envolvido em dois gols sofridos e quase deu ao Japão o terceiro - todos eles trazidos por Hansi Flick. “Não vou denunciar nenhum jogador. São coisas que discutimos internamente”, afirmou o treinador germânico.

Mas sua ideia de jogar com um zagueiro central pela esquerda, análogo ao sistema da Copa do Mundo de 2014 (na época o extremamente sólido Benedikt Höwedes), deu terrivelmente errado. Se Schlotterbeck estava em alta, foi ultrapassado assim que a bola passou – como foi o caso do gol da vitória japonesa de Takuma Asano no Catar. Se ele se aprofundasse no duelo, seria superado pelos convidados, que eram fortes no drible.

“Ele não é apoiado, mas está sempre muito longe do adversário”, disse o especialista da RTL Lothar Matthäus no intervalo. Muitos observadores ficaram surpresos com o fato de Schlotterbeck ter tido que continuar jogando quase 20 minutos depois. Não melhorou. Não é à toa: já ocupou o cargo algumas vezes nas categorias de base Sub-21 ou Freiburg, mas apenas por alguns minutos na seleção principal.

A nova abordagem de Flick de colocar Joshua Kimmich como lateral-direito e integrá-lo à estrutura quando ele tiver a bola provavelmente será flanqueada por Robin Gosens na esquerda no futuro. O profissional do Union Berlin não tem pontos fortes na defesa, mas consegue ao menos dar impulso ofensivo. Ao substituir Schlotterbeck, cometeu um erro “direto”, como reclamou Flick, e se envolveu nos 1:3 e 1:4.

A estrela do BVB, Schlotterbeck, está sempre trêmula

O desempenho desastroso de Schlotterbeck se enquadra na imagem de uma carreira complicada na DFB até agora. O jogador de 23 anos, parceiro de defesa central de Niklas Süle no BVB, causou três (!) pênaltis em suas primeiras cinco partidas internacionais. Em sua sétima participação perdeu o duelo corrido com Asano contra o Japão (1:2).

Ele também foi extremamente propenso a erros em junho contra a Ucrânia (3:3) e ficou de fora nos dois jogos seguintes. Em sua angústia, Flick recorreu agora a “Schlotti” na posição problemática na parte traseira esquerda. Mas o momento terrível em Wolfsburg não ajudará ninguém na perspectiva do Campeonato Europeu em casa no próximo ano.

 

Via Sport.de

Categorias

Ver todas categorias

BVB deve renovar com Reus para a próxima temporada?

Sim

Votar

Não

Votar

331 pessoas já votaram