Texto por Colaborador: Redação 01/12/2023 - 00:13

Quase duas semanas antes da sua próxima assembleia geral (GM), a Liga Alemã de Futebol (DFL) informou os seus 36 membros sobre as ofertas iniciais de potenciais parceiros estratégicos.

De acordo com informações iniciais, a DFL informou aos clubes da Bundesliga e da 2ª liga que várias empresas de private equity poderiam imaginar ingressar na liga como parceiras sob as condições-quadro recentemente definidas de forma muito clara. Assim, quando o prazo expirou, esta quinta-feira, foram recebidas as chamadas ofertas iniciais na Guiollettstrasse, em Frankfurt/Main, onde está sediada a liga. O número específico não é mencionado na carta. No início da semana, a agência de notícias Reuters informou que a liderança da liga estava centrada nos dois diretores-gerentes, Dr. Marc Lenz e Dr. Steffen Merkel conta com o interesse dos investidores financeiros Advent, Blackstone, Bridgepoint, CVC e EQT.

Ceticismo sobre o acordo sob novas circunstâncias

Havia certamente um ceticismo justificável quanto à questão de saber se um acordo sob novas circunstâncias despertaria interesse entre potenciais parceiros. Por um lado, existe a quantia bastante pequena de 900 milhões a um bilhão de euros. Por outro lado, existem limites muito claros no que diz respeito à participação e à retenção de direitos soberanos, como a organização de jornadas. Além disso, tanto o presidium como o conselho de supervisão e a gestão da liga estabeleceram antecipadamente restrições de revenda muito rigorosas, de modo que se poderia vetar um fundo soberano de uma autocracia, por exemplo.

Serão investidos 600 milhões de euros

Os criadores da liga querem investir 600 milhões de euros no modelo de negócio. Isto envolve investimentos em tecnologia digital, plataformas OTT, mas também vendas internacionais. 300 milhões de euros deveriam ser retidos como reserva, uma vez que um potencial parceiro recolheria 6 a 8 por cento das receitas de comunicação social desde o início do negócio, dependendo do montante da participação numa subsidiária que gere os direitos de comunicação social. Outros 100 milhões de euros do contrato de 20 anos serão distribuídos aos clubes que desejam viajar para o exterior.

Uma maioria de dois terços deve ser alcançada na assembleia geral de 11 de dezembro para que Lenz e Merkel possam entrar em discussões concretas com as partes interessadas. O negócio deverá ser finalizado até março, desde que haja luz verde da MV. Dois clubes da Bundesliga, SC Freiburg e 1.FC Cologne, manifestaram-se recentemente contra a parceria estratégica. (via Kicker)

 

Categorias

Ver todas categorias

BVB está certo em manter Terzic na próxima temporada?

Sim

Votar

Não

Votar

84 pessoas já votaram