Antes da partida de retorno contra o Wolfsburg (domingo às 15:00), a situação da equipe parece estar relaxada. O treinador Peter Stöger adverte contra "um adversário perigoso" .

As boas notícias primeiro: "Os caras que tiveram problemas gastrointestinais estavam todos treinados ontem e conseguiram seguir o programa sem problemas" , disse o treinador Peter Stöger na conferência na manhã de sexta-feira. "O grupo é maior novamente. "

Sem Guerreiro, Schmelzer e Reus

Por outro lado, o treinador de Dortmund terá que improvisar na lateral esqeurda. Marcel Schmelzer e Raphael Guerreiro estão fora por causa de suas lesões musculares. As alternativas são Jeremy Toljan, Erik Durm e Dan-Axel Zagadou. Stöger também respondeu ao flashback de Marco Reus, publicado pela imprensa: "Sem sorte. "

Depois de uma preparação de inverno extremamente curta, Stöger espera que pelo menos alguns dos trabalhos em Marbella dêem frutos no domingo. "Nós fomos capazes de fazer alguma coisa, mas é claro que não tudo. Mas ainda há tempo nas próximas semanas."

Enquanto isso, o austríaco também teve a oportunidade de conhecer melhor sua nova equipe. Sua impressão é positiva: "É uma equipe que está pronta, eles são bons, não há ninguém que conscientemente se sinta trabalhando contra o grupo e contra o clube, então foi um campo de treinamento normal. para mim. "

Espera-se o retorno de Mario Gotze, que se recuperou completamente da lesão desde o início de janeiro: "Ele treinou normalmente. Piszczek, Durm e Castro estão de volta, então isso nos dá possibilidades para este fim de semana. Mario pode fazer a diferença, ele não perdeu sua qualidade. Vamos ver o quão longe ele pode segurar fisicamente. Algumas sessões de treinamento não garantem que você possa jogar 90 minutos. "

Stöger também comentou os comentários de Marcel Schmnelzer, que causaram uma sensação nos últimos dias. "Não é um grande problema para mim. Claro, você tem que cuidar das pequenas coisas, também é bom enviar uma mensagem. Não é apenas uma equipe de futebol, mas 60 ou 70 pessoas que estão lá. Não devemos tornar as coisas maiores do que são. "

Fonte: RN