Na Sexta-feira, Sven Mislintat começou o seu serviço no Arsenal. Na sua primeira entrevista após a mudança, o novo chefe scout, de longa data no Borussia Dortmund, falou da sua tarefa que o espera na Inglaterra e comentou de sua diferença com Thomas Tuchel. 

Na Alemanha ele é conhecido como o “Olho de Diamante” e são lhe entregues os louros das contratações de Robert Lewandowski, Shinji Kagawa, Pierre-Emerick Aubameyang and Ousmane Dembele. Uma das razões porque decidiu deixar o Borussia Dortmund e rumar a Inglaterra? Diz o próprio que foi um desentendimento com Thomas Tuchel por causa de Óliver Torres.

Foi o próprio a admitir que a chegada de Shinji Kagawa lhe abriu caminho para uma carreira de sucesso. “Foi a contratação de Shinji Kagawa o momento chave da minha carreira”, reconheceu Mislintat em 2012. “Fomos seis vezes ao Japão e fiz cerca de 15 vídeos só do Kagawa. Ficámos convencidos de que ele era o homem de que andávamos à procura”, revelou. Então com 21 anos, Kagawa custou cerca de 350 mil euros ao Dortmund. Dois anos depois, com duas Ligas Alemãs conquistadas, o japonês foi ao Manchester United em troca de 16 milhões de euros.

"Havia muitas coisas no tempo que eu gostaria de ter feito sem, Thomas Tuchel provavelmente também. No final, nos machucou". Tuchel teve uma disputa em janeiro de 2016, porque a transferência de Oliver Torres do Atlético de Madri havia explodido. Tuchel então proibiu Mislintat dos campos de treinamento.

"Tudo o que eu disse foi que o tempo me levou a fazer outra coisa. Não havia motivo para deixar o BVB, só que aos 45 anos, não posso deixar passar uma oferta do Arsenal. Não estou zangado com ninguém. Penso que é muito corajoso dizer o que Hans-Joachim Watzke disse na reunião de acionistas. Numa fase tão difícil para o clube, tem o meu maior respeito. Se eu sou da imprensa na Inglaterra e na Alemanha, espero um Dembélé em cada período de transferência."

Fonte: Kicker / Bancada.pt