O clube chinês do Guanzhou Evergrande negou ter qualquer interesse em assinar com o atacante gabonês Pierre-Emerick Aubameyang , do Borussia Dortmund, depois de advertências por não para atender às regras de transferências, reiterando a sua intenção de se concentrar na base para e definir -se um único "modelo dos jogadores chineses para 2020. "

"Não vamos entrar no mercado de transferência porque nos concentramos no desenvolvimento da base", afirmou o Guanzhou em comunicado. "Vamos manter o modelo Evergrande de construir um sistema completo de talentos para que possamos descobrir nossa maneira de criar um modelo para jogadores chineses até 2020", acrescentou.

Esta aposta do time sete vezes campeão da Superliga chinesa para um novo modelo procura "contribuir consistentemente" para o futebol asiático. "Desde 2017, propusemos princípios claros sobre a assinatura de jogadores de futebol estrangeiros que poderiam complementar o futebol chinês, mas nós nos recusamos a pagar prémios para qualquer um deles", disse o clube.

A Federação Chinesa de Futebol (CFA) ameaçou Guanzhou Evergrande e Beijing Guoan, que teriam oferecido 70 milhões para a estrela do Borussia Dortmund. Desde 2017, cem por cento dos impostos foram impostas às ofertas que excedem esse valor , uma medida que a própria federação suspeita de que ambos os clubes estão tentando evitar.

Por enquanto, a equipe liderada por Fabio Cannavaro mudou de forma do habitual durante o atual mercado de transferências, assinando com o chinês Deng Hanwen, Tang Shi e Yang Liyu, os três com menos de 23 anos.

Fonte: As