Südtribüne BLOG  - O Borussia Dortmund decepcionou mais uma vez nesta temporada, agora não com uma derrota, mas com um empate muito amargo diante do Schalke 04, seu maior rival.

Logo aos 12 minutos do primeiro tempo o Borussia já abria 1 a 0 de vantagem em um gol polêmico de Aubameyang. Aos 25 o placar já marcava 4 a 0 para os auri-negros, Stambouli (contra), Mario Götze de cabeça e Raphael Guerreiro anotaram os gols. Até o final do primeiro tempo o time se manteve bem, controlava o jogo, tentava chegar a anulava o Schalke. Um primeiro tempo perfeito.

Na volta para o intervalo tivemos um time completamente diferente, é natural o nível de concentração cair e o time “relaxar” com tal vantagem, mas, o que aconteceu não foi apenas um descuido. O time voltou completamente apático à campo, tinha dificuldades na criação e ao mesmo tempo a equipe do Schalke crescia no jogo, aos 15 minutos da segunda etapa veio o primeiro do Schalke com Burgstaller e menos de cinco minutos depois o segundo com Harit. O jogo começava a mudar de verdade, o Schalke crescia e o sistema defensivo do Borussia Dortmund não funcionava, mais uma vez.

Aos 27 minutos do segundo tempo, Aubameyang chega duro em dívida, recebe o segundo amarelo e é expulso, a partir dai foi jogo de ataque contra defesa, o Borussia não ameaçava a meta de Fahrmann. Com um jogador a menos o Borussia se defendia como podia, mas os espaços apareciam, muito mais do que deveriam, as chances criadas pelo adversário eram constantes. Weindenfeller fez uma grande defesa, mas não foi o suficiente, aos 41 Caliguiri entrou fácil na defesa auri-negra e fez o terceiro, e aos 49 em mais um cruzamento, foram três gols sofridos de cruzamento, Naldo cabeceou e decretou o fracasso aurinegro.

Depois de um primeiro perfeito, algo que até não era esperado pela péssima fase vivida pelo time, aonde o adversário finalizou uma vez e o time abriu quatro gols de vantagem, o Borussia deixou escapar em um segundo tempo desastroso, o que poderia ser uma vitória importantíssima para melhorar todo o astral do clube.

No maior clássico do país se necessita de atenção o tempo todo, que isso sirva pelo menos de lição.

Por Gabriel Mafra / Contato: Twitter @GabrielMafr4