Blog do Breno - Olá, seja muito bem-vindo a esta coluna . Hoje quero falar sobre a torcida. E vem muito acalhar com este tema, até porque hoje, em são Paulo, foi decidido que as torcidas podem voltar com bandeiras e instrumentos. Um alivio! Mais, qual a semelhança deste tema com o Borussia? Vamos explicar para quem não sabe no decorrer do texto. O futebol raiz não pode acabar.

Na última semana a FDB, deu uma punição ao clube aurinegro por conta dos shows pirotécnicos na final da Copa da Alemanha. Para eles a torcida aurinegra se excedeu  um pouco. Pode até ter acontecido isso, mas, não feriu ninguém não aconteceu nada grave. O futebol é festa, alegria. Querem que o futebol seja igual teatro, nunca. As torcidas são que as que empurram os times.

Aqui no Brasil, mais especificamente em São Paulo, se notabilizou pela intolerância pela festa das arquibancadas, elas são o motivo da alegria. Depois, de ter tirado o brilho do batuque eles colocaram torcida única, uma aberração. Imagina se na Alemanha isso acontece nos clássicos são torcida única. Eles acham que isso vai acabar com a violência? Não. Obvio que não. Eles não querem matar o mal pela raiz.

Eu cresci nos estádios. Ia muito ao Paca, Morumbi e entre outros estádios para acompanhar o Corinthians, meu clube do coração. Mais do que isso, era lindo ver a torcida, não só da minha, mas dos outros clubes. Quem presenciou os espetáculos nos anos 90 sabe do que estou falando. O maior patrimônio do um clube, não é o jogador, pois ele passa e o clube fica, é a torcida. Ela quem se sacrifica para pagar e ir para torcer.

Um dos poucos clubes europeus que fazem essa festa é a torcida do aurinegro e os colchoneros, torcida do Atlético de Madri. São os principais clubes hoje, que não fazem um show de teatro. Elas pulam cantam o jogo inteiro. Isso é lindo. Eu não me lembro de outro time a fazer essa festa.

Agora eles querem “calar” a nossa vibração. São punições absurdas como eu disse. O futebol moderno não pode tirar o brilho do futebol raiz, as duas coisas precisam andar juntas. O passado e o presente são futuro.  Os instrumentos não podem ser penalizados pelas que aqueles que utilizam de uma forma incorreta.

Ou seja, não estou defendendo bandidos, a minha posição é clara, defendo o futebol bonito, as luzes e a festa nas arquibancadas. Quem tem que ser punidos, são aqueles que fazem mal uso do futebol. São aqueles,  que se escondem atrás dos times para matar, esses sim são vândalos e não torcedores.